Kibon celebra 65 anos do Chicabon

Diz a lenda que a marca foi criada como homenagem ao estereótipo da mulher carioca, de pele morena e ascendência africana

Mulato, doce e malandro, o Chicabon é o rei da sedução entre os picolés no Brasil. “Desde o seu lançamento há 65 anos, o Chicabon sempre foi o sorvete mais vendido no Brasil em unidades e representa 15% do valor comercial do segmento impulso, formado por cones, picolés e copos”, afirma a gerente de marketing de impulso da Kibon, Patrícia Borges.

Se considerarmos todo o mercado de sorvete, sozinho o Chicabon tem 2%, a maior fatia de um mercado altamente atomizado, completa a executiva da fabricante que lidera o mercado nacional de sorvetes, com 60% de market share no segmento de picolés e 51% na venda de potes.

“Mesmo diante da entrada de novos produtos, o Chicabon não sofre impacto. Nem mesmo a maior oferta de picolés de chocolate abala sua posição, porque ele tem sabor único”, acrescenta Patrícia.

1611200704711chicabon_nota

Na receita mágica que “fecha o corpo” de Chicabon contra os avanços dos concorrentes, garante-lhe sucesso constante de vendas e incrível fidelidade dos consumidores, além de assegurar-lhe a posição de marca-ícone, estão ingredientes como pioneirismo, sabor, constância, e distribuição.

Lançado em 1942, Chicabon é uma marca brasileira que, de acordo com o centro de documentação da Unilever, foi criada pela agência de publicidade contratada pela U.S.Harkson, a detentora da marca fantasia Kibon. O interessante é que nem o próprio centro de documentação da empresa sabe precisar qual foi a agência. “Pode ter sido a Ayer & Sun ou mais provavelmente a J.W. Thompson”, diz o relatório.

Embora não se saiba com certeza a agência autora, diz a lenda que a marca Chicabon foi criada como homenagem ao estereótipo da mulher carioca, de pele morena e ascendência africana, e ao apelido de Francisca, nome muito comum à época. Ou seja, é bem possível que algum publicitário dos anos 1940 tenha usado a oportunidade de batizar o produto do cliente para ganhar prestígio com alguma morena chamada Chica.

O sufixo “bon”, embora soe como um elogio a tal Chica (e provavelmente o seja), tem uma explicação que vai além da paquera: à época todos os produtos da Kibon carregavam esse sufixo, que funcionava quase como um sobrenome corporativo. E o mais interessante é que a tradição nem começou com o picolé moreno e sim com o primogênito da família Kibon, o Eskibon.

Embora seja sempre citado como um típico sabor que agrada ao brasileiro por seu gosto doce intenso, a fórmula do picolé não foi desenvolvida aqui, e sim nos Estados Unidos. Quando começou a ser produzido no Rio de Janeiro, o Chicabon já era comercializado em Xangai com outro nome.

Hoje, tanto a marca quanto a fórmula do Chicabon existem exclusivamente no Brasil. “Não pensamos em exportar essa marca porque o seu sabor intensamente doce não costuma agradar fora do Brasil”, explica Patrícia. Diante de tamanha paixão, a tarefa de criar uma campanha para celebrar os 65 anos de Chicabon tornou-se um desafio. “Decidimos que a campanha tinha que ao mesmo tempo mostrar a vitalidade e a tradição da marca”, diz Patrícia. 

A solução para esse briefing nasceu na agência Super Produções, que criou um Alternative Reality Game (ARG). O mote do jogo de cinco fases será a procura pela embalagem no1 do Chicabon. O jogo culmina em uma festa, marcada para 13 de dezembro, em que o vencedor será anunciado e levará para casa R$ 50 mil em barras de ouro. O público-alvo tem entre 17 e 25 anos, transita tão bem no mundo virtual quanto no real e tem disposição para aceitar esse tipo de jogo.

Postado por Ellen Freitas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: